ECOARTIGOS


PAINEL PELA PASSAGEM DO DIA MUNDIAL DA TERRA

Cerca de 150 pessoas participaram do painel "Quanto tempo temos?" promovido pela ECOBÉ no último dia 02 no Cine Teatro Real, em Arroio do Meio, sobre a questão dos resíduos sólidos. Os painelistas foram a Promotora de Justiça Mônica Dávila, o Geólogo Pedro Schnack e o Engº Químico Antônio Mallmann que dialogaram, respectivamente, sobre o enfoque da legislação ambiental, dos resíduos urbanos e industriais e da contaminação do lençol freático. A promoção foi realizada para marcar o dia mundial da Terra, celebrado em 22 de abril.
Os painelistas concordam que não há muito tempo para salvarmos o planeta. Devemos agir já. Pedro Schnack lembrou que cada consumidor tem uma responsabilidade direta pelo lixo que produz. O lixo domiciliar deve, antes de mais nada, ser reduzido, para, então, ser separado e reciclado. E isso depende de cada um de nós.
A promotora Mônica, que fez sua abordagem a partir das embalagens de agrotóxicos, lembrou que a legislação deve se pautar pela lógica de que quem tem o bônus (do lucro) deve ter o ônus (da responsabilidade sobre os resíduos). Como exemplo, lembra que os resíduos tóxicos (baterias, pilhas, lâmpadas fluorescentes, vasilhames de venenos, aerossóis, etc), devem retornar aos fabricantes pelos mesmos caminhos que chegam ao consumidor. Ou seja: dos consumidores a vendedores, transportadores e fabricantes. Esses deverão dar a destinação final mais apropriada. O governo que utilizar recursos públicos em uma ação como essa poderá responder por uso indevido (improbidade administrativa).
Antônio Mallmann lembrou que mais de 30 % dos poços artesianos da região estão contaminados com resíduos orgânicos, relacionados à produção animal e aos esgotos dos centros urbanos. "A continuar como está, em 10 anos o Rio Taquari não terá mais vida".
Durante o debate, aprofundou-se a questão da produção animal, onde viu-se que as agroindústrias integradoras devem, também, ter responsabilidade pelos resíduos gerados pelos seus integrados que, atualmente, assumem sozinhos esse ônus. Também lembrou-se que outras indústrias contribuem tanto ou mais na poluição da água do que a produção animal.
Com o painel, a ECOBÉ fez um alerta à população de que a defesa do meio ambiente deve ser ampliada e incansável, sob pena de não termos mais tempo para evitar o pior.

Como podemos reduzir o lixo?
Antes de mais nada, devemos colocar nosso cérebro a funcionar. A criatividade é a melhor arma para evitar a poluição. Algumas dicas:
                - Evite garrafas plásticas; prefira as de vidro e metal;
                - Evite materiais descartáveis;
                - Diminua o número de sacolas;
                - Evite brinquedos e equipamentos à pilha e bateria;
                - Deixe parte das embalagens na própria loja;
                - Reutilize embalagens.